Condomínio

Veja a seguir alguns procedimentos preventivos de segurança em condomínios a serem adotados pelos moradores.

  • Participe ativamente das reuniões referentes à segurança, inclusive fazendo parte das comissões ou conselhos de segurança do seu condomínio;
  • Obedeça às normas de segurança preconizadas para o seu condomínio;
  • Traga sempre informações sobre assuntos relativos à segurança, pois suas sugestões são valiosas para o aperfeiçoamento e atualização da proteção de todos;
  • Colabore com o síndico e demais moradores na formação de medidas que garanta a eficácia de todo o sistema de controle a ser implantado;
  • Compreenda e elogie as ações preventivas dos funcionários que visam garantir a segurança de todos os condôminos, mesmo quando representam algum transtorno para si ou para suas visitas;
  • Conscientize seus parentes e empregados sobre a importância da integração de todos no sistema de segurança adotado pelo condomínio;
  • Não se exponha desnecessariamente, somente desça à portaria quando o assunto lhe diz respeito;
  • Evite comentar sobre sua vida íntima, seus bens, patrimônio e ganhos na frente de estranhos ou até mesmo de funcionários do condomínio;
  • Ao contratar empregados (domésticas, babás, motoristas, etc.) somente os receber na portaria, exigir documentação e referências, averiguando a autenticidade e veracidade das informações;
  • Oriente seus empregados para que nunca comentem sobre seus hábitos;
  • Acautele-se com empregados, observe-os atentamente, principalmente em relação a mudanças de comportamento;
  • Evite deixar as chaves de seu apartamento, bem como objetos pessoais na portaria;
  • Em casos de perda das chaves, troque imediatamente as fechaduras ou cilindros;
  • Caso resida nos dois primeiros andares do prédio, proteja as áreas de acesso com grades reforçadas, utilize nas portas trincos e trancas complementares;
  • Ao chegar ou sair do condomínio ou da garagem, observar se não há pessoas estranhas ou suspeitas, aguardando ou dando voltas até sentir-se em segurança;
  • Aguarde para entrar ou sair se o porteiro estiver identificando um estranho;
  • Se o portão da garagem funciona através de acionamento automático, aguarde para que a porta esteja totalmente fechada antes de se dirigir para sua vaga;
  • Ao estacionar seu veículo na garagem, mantê-lo trancado, sem deixar pacotes ou objetos à vista e com o alarme ligado;
  • Alertar a portaria para que a mesma receba as encomendas feitas ou o avise para que vá atender ao entregador na portaria;
  • Em festas o morador deve deixar a lista de convidados na portaria;
  • Crie senhas e gestos de identificação de situações de emergência em diversas situações (de carro ou a pé);
  • Ter sempre a mão os telefones de emergência (síndico, polícia, bombeiro, ambulância, etc.);
  • Antes de se deitar, à noite, revise o fechamento de portas e janelas;
  • Procure conhecer os hábitos de seus vizinhos e se relacionar bem com eles.

Orientações gerais para síndicos e administradores de condomínio:

  • É fundamental que se obtenha consenso entre os moradores, ou seja, que o objetivo de segurança preventiva seja de todos (ou da maioria). Buscar a conscientização dos moradores é um importante pilar de sustentação do plano de segurança;
  • É importante que se estabeleça uma relação com os condomínios vizinhos. Em grandes cidades, é comum que haja uma concentração de edifícios em uma mesma rua. Definição de formas de comunicação (rotinas e emergências), trocas de informações e treinamentos conjuntos, são algumas das medidas que podem ser compartilhadas em prol da segurança;
  • As regras, procedimentos, limites, utilização de áreas comuns devem ser formalizadas em um documento a ser aprovado em assembleia e amplamente divulgado entre os moradores e funcionários;
  • O controle de acesso deve ser uma das primeiras preocupações da administração do condomínio. Existem formas de procedimentos para diferentes situações (morador, empregado, funcionários, visitantes, prestadores de serviços eventuais e frequentes), mudanças, entregas em geral. Especial atenção deve ser dada ao condomínio em início de ocupação, onde há muitas reformas em andamento;
  • Eventos especiais, festas, condomínios clube, merecem atenção diferenciada no que se refere ao controle de acesso;
  • A proteção do perímetro é outro item, entre as principais preocupações da administração. Formas de inibição e detecção devem ser consideradas ao planejar os recursos a serem utilizados;
  • O treinamento constante dos funcionários, sejam eles terceirizados ou não, deve ser uma atividade constante e periódica. Recomenda-se que haja uma intervenção a cada quatro meses, pelo menos. Nos intervalos entre as atividades, devem ser observadas as falhas, dificuldades, pontos de melhoria e outras necessidades. Buscar a participação dos moradores, de forma orientada e organizada, também pode se traduzir em bons resultados;
  • Estabeleça uma rotina de verificação periódica dos sistemas de segurança eletrônica e de acesso. No mínimo, duas vezes por semana, o zelador, depois de treinado pelo(s) fornecedor(es), deve realizar a checagem e registrar em um formulário específico (ou livro de atividades);
  • Adotar a disciplina de que todas as ocorrências sejam registradas em um livro específico, bem como as entregas, mudanças, reformas, etc. Os desvios de função, desentendimentos, conflitos e quebra de regras também deve ser anotado, porém com o cuidado de não acusar nenhum dos envolvidos;
  • Tratar os funcionários com respeito e consideração, contribui para uma maior efetividade dos serviços.

Seja cidadão atuante na área de segurança, participe das reuniões do CONSEG – Conselhos Comunitários de Segurança.

Contribuições: Polícia Militar do Estado de São Paulo e Equipe Núcleo.